Sexta-feira, 26 de Novembro de 2010

Sou Pela Globalização….Mas….Anulação Não!

Ao contrário de muitos amigos meus sou francamente a favor da Globalização, aliás até acho estranho que se possa combater algo irreversível….até porque já vamos na 3ª fase de Globalização das economias e das Sociedades neste nosso Planeta. No entanto, entendo que esta Globalização está a ser construída, (aliás como as restantes), ao arrepio dos Direitos e Deveres das e dos Cidadãos deste Planeta e ao arrepio da Protecção do Meio Ambiente, determinante para que o Planeta continue habitável para as futuras gerações. Por isso defendo desde os anos 80 do século XX que os combates mais importantes para a Esquerda são os Combates pelos Direitos Cívicos no Mundo e o Combate por um Ambiente que dê Futuro aos nossos Descendentes. De facto, os Combates pelos Direitos Cívicos permitem pôr a nu não só as Ditaduras do Mundo e promover a Democracia, e a Liberdade de Expressão e de Organização, como permitem denunciar a forma como essas Ditaduras e algumas minorias exploram, e impõem a Fome, e a Miséria a larguíssimas percentagens de Cidadãs e Cidadãos. Curiosamente, ultimamente, tenho voltado a receber emails onde o argumento é “o que tenho a ver com o que se passa no Mundo? Interessa-me é o que se passa na minha terra!”, como se fosse possível, nesta União Europeia cada vez mais integradora, neste Planeta cada vez mais integrador, nas economias e nas políticas, isolar a “nossa terra” do restante Planeta. Temos Desemprego, não só mas também, porque as Organizações tendem a optar por se sediarem nos locais onde o custo com a mão de obra é menor e é nas Ditaduras que é possível impor às e aos Cidadãos os muito baixos salários, (como vimos, na RP da China, isso significam, nas regiões ainda não industrializadas do país, 100 US dólares mês, pouco mais que 2 euros dia …sucedendo o mesmo, claro, na pouco democrática República de Angola), e as cargas semanais de trabalho acima, bem acima das 50 horas semana… Temos Desemprego também porque o confronto, nesta economia Global, entre os Produtos Europeus e os Asiáticos, em especial, feito na base do Preço, é sempre vantajoso para as economias asiáticas e, ainda, porque, em Portugal e na restante Europa, continuamos a comprar nas “lojas dos chineses” em vez de comprarmos português, de novo por causa do Preço mais que baixo, bem equivalente à mais que baixa qualidade desses chineses produtos… Daí a importância e o empenho do Governo em apoiar em tudo o que pode as Empresas Exportadoras, (base central aliás do nosso crescimento em 1,5%, acima da restante Europa…), e só me espanta que haja quem não queira entender esta política socialista como algo especialmente benéfica para todos nós que, assim, temos exportação suficiente para cobrir as importações que, muita por razões de mero luxo, fazemos. Temos Desemprego ainda porque o ambiente psicológico em volta da nossa economia é alimentado negativamente por jornalistas que tudo fazem para promover o mau, o crítico, o negativo e não o positivo. Ao contrário da Irlanda, onde tudo foi feito, em consenso nacional, para esconder a miséria financeira do pais, meses a fio, cá não há jornalista que não busque e rebusque, com sádica satisfação, uma estatística que seja, para o seu país, má! Ora tal ambiente conduz os empresários a acautelarem-se, reduzindo as contratações e aumentando o afastamento dos contratados a prazo, ou em condições incertas. Enfim, temos Desemprego porque não compramos português, temos Desemprego porque alimentamos a maledicência, temos Desemprego porque não há português que assuma, “que raio sou português, sou, com Orgulho, da Terra do Globalizador Camões e do Globalizador Fernando Pessoa!”, (e, notem, eu que escrevo assim, sou luso angolano e não português). Temos Desemprego porque lemos nos jornais que nos tratam como PIGS e não cuspimos na cara de quem escreve tal em jornais portugueses…. Enfim, eu sou pela Globalização, mas não pela Anulação! Sou Filho de um Império, Teocrático como definiu Darcy Ribeiro, o meu brasileiro guru, e não comercialão, (ainda que também comercialão), nem industrialista, e por o ser não me espanta esta Globalização – minha mãe e meu pai nasceram no Porto, zarparam jovens para Moçambique, levando já a minha irmã com eles, eu e o meu irmão nascemos em Nampula, Moçambique, cedo fomos para Angola, onde está o meu coração, por essas terras devo ter dado nunca menos que uma volta ao mundo, em quilómetros percorridos, e mais tarde, fuin conhecendo ainda mais Mundo, sem nunca me ter preocupado com o enriquecer….(o enriquecimento não é central na cultura de expressão portuguesa, lamento dizê-lo) Sou Filho do Império e por isso lutei, (e fui preso), pelas Independências de Angola, de Moçambique, de São Tomé e Principe, de Cabo Verde, da Guiné Bissau, de Timor Leste e amei as leituras brasileiras e a cultura que me chegava do Brasil, (que só conheci este ano). Mas sendo Filho do Império, por o ser aliás, não temo dizer, Comprem Português, Brasileiro, Angolano, Guineense, São Tomense, Cabo Verdeano, Timorense, antes de tudo o restante, antes de todos os outros Produtos de todos os outros países. Porque a Globalização não pode significar Anulação de Ninguém. Ora está a suceder que a Anulação está a surgir, por aí, há bons anos – a Língua portuguesa mal é escrita e falada na Comissão Europeia, nas Nações Unidas, nos meios diplomáticos internacionais, porque nos deixamos enredar em discursos “nacionalobalofos” à “miguelestevescardoso”, que agora é aproveitado para que nas Nações Unidas já haja quem fale no “em desaparecimento” português e na Língua Brasileira! A Anulação está a surgir, por aí, porque em Portugal a Cultura, escrita, falada, edificada, é desprezada, e porque sendo Portugal um “país turístico” tem empresários que continuam a achar que esse conceito, de “país turístico”, quer dizer de Sol e Praia e de “edificações arabizadas”, deixando cair por terra Castelos, Fortes, Monumentos em geral, das múltiplas culturas que por aqui estiveram, séculos a fio, entre árabes claro, judeus, cristãos, (Templários ou não, mas muito, muito Templários), entre indueuropeus, negros, índios, indianos, asiáticos, chineses ou não, … A Anulação está a surgir, por aí, quando não temos Oposição que, à Direita ou à Esquerda, capaz de dizer, Basta, temos séculos por detrás de nós, não é aceitável cair assim, só porque nos deixamos dividir….por alemães e por britânicos, ambos, agora, desejosos de pôr fim à União Europeia e, por isso, à moeda euro. A Anulação está a surgir, por aí, porque o partido do Governo, o meu partido, o PS, não reconhece com veemência que o problema não está na remodelação. Está sim na assunção, por todos, e pelo PS também, temporariamente que seja, da necessidade de um Governo de Salvação Nacional, que até Otelo Saraiva de Carvalho já defendeu! Por isso termino assim, Globalização Sim, Anulação Não! AJUDE!... Estima-se que se cada português consumir 100€ de produtos nacionais, mensal, a economia cresce acima de todas as estimativas e, ainda por cima, cria postos de trabalho. Ponham o mail a circular. Pode ser que acorde alguém. Dê preferência aos produtos de fabrico Português. Se não sabe quais são, verifique no código de barras. Todos os produtos produzidos em Portugal começam por 560 ........ E, Para Terminar, porque recebi de um Amigo, e porque, não sendo estatista sei que até nos EUA existem bancos do Estado… A Caixa, CGD, está ao serviço de PORTUGAL! A Caixa tem lucros que são ENTREGUES AO ESTADO e servem para o desenvolvimento do País! Com o esforço dos trabalhadores da Caixa é que é possível obter esses lucros, sendo que parte deles está a ser ENTERRADA no BPN, banco PRIVADO! Os trabalhadores da Caixa são BANCÁRIOS, sempre o foram e não podem ser discriminados face a outros colegas da Banca! Se pretendem igualdade de tratamento nos cortes salariais, então que o Estado determine uma taxa sobre TODOS os salários do País e que TODOS os Portugueses, incluindo os que trabalham em empresas privadas, PAGUEM também parte dos sacrifícios! A Caixa é uma empresa que tem obtido LUCROS e os vencimentos dos seus trabalhadores não pesam no Orçamento de Estado! Joffre Justino
publicado por JoffreJustino às 16:35
link do post | comentar | favorito
|

.mais sobre mim

.pesquisar

 

.Julho 2012

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6
7

8
9
10
11
12
13
14

15
16
17
19
20
21

22
23
24
25
26
27
28

29
30
31


.posts recentes

. Primárias - Uma Otima Pro...

. O 11 de Setembro e eu pr...

. Um recado a Henrique Mont...

. Na Capital Mais Cara do M...

. Há Asneiras A Não Repetir...

. “36 Milhões de Pessoas Mo...

. Ah Esta Mentalidade de Ca...

. A Tolice dos Subserviente...

. A Típica Violência Que Ta...

. Entre Cerveira e a Crise ...

.arquivos

. Julho 2012

. Setembro 2011

. Agosto 2011

. Julho 2011

. Junho 2011

. Maio 2011

. Abril 2011

. Março 2011

. Fevereiro 2011

. Janeiro 2011

. Dezembro 2010

. Novembro 2010

. Outubro 2010

. Setembro 2010

. Julho 2010

. Junho 2010

. Maio 2010

. Abril 2010

. Março 2010

. Fevereiro 2010

. Janeiro 2010

. Dezembro 2009

. Novembro 2009

. Outubro 2009

. Setembro 2009

. Agosto 2009

. Julho 2009

. Junho 2009

. Maio 2009

. Abril 2009

. Março 2009

. Fevereiro 2009

. Janeiro 2009

. Dezembro 2008

. Novembro 2008

. Outubro 2008

. Setembro 2008

. Agosto 2008

. Julho 2008

. Junho 2008

. Maio 2008

. Abril 2008

. Março 2008

. Janeiro 2008

. Dezembro 2007

. Novembro 2007

. Outubro 2007

. Agosto 2007

. Junho 2007

. Maio 2007

. Abril 2007

. Março 2007

. Fevereiro 2007

. Janeiro 2007

. Dezembro 2006

. Novembro 2006

. Outubro 2006

. Setembro 2006

. Agosto 2006

. Julho 2006

. Junho 2006

. Maio 2006

. Março 2006

. Fevereiro 2006

. Janeiro 2006

. Dezembro 2005

. Novembro 2005

. Outubro 2005

. Setembro 2005

. Agosto 2005

. Julho 2005

. Junho 2005

. Maio 2005

blogs SAPO

.subscrever feeds