Segunda-feira, 4 de Julho de 2005

Critica à noticia do PUBLICO sobre a participação em actividades eleitorais..um texto que enviei ao PUBLICO

Caros senhores,

Estive a ler a vossa noticia sobre as "férias" dos candidatos a eleitos locais...Nao consigo deixar de relevar, no título, a palavra "férias", citada 3 vezes no texto da noticia e agravada com a frase "turismo eleitoral", também no texto, para acentuar esta concepção, já nao ineditamente, antidemocratica, de confundir uma participação activa em uma campanha eleitoral com "férias".
Mais, nao deixo de acentuar a noção, grave, de podermos duplicar um hipotético "absentismo", provocado pela participação activa em um acto eleitoral, em valores que poderiam ir, "entre 5 a 10 %", que denota uma exigência de "rigor" a que nos vamos habituando...
Sendo eu dirigente de uma cooperativa de ensino, e candidato a eleito local, é nesta dupla função de responsável por uma unidade económica e candidato que senti a necessidade de refutar estas teses ditas "antiabsentistas"...
1. Não existe, nem no vosso texto, nem nas estatísticas, as "citadas" e as oficiais, inexistentes, informação sobre os candidatos que não usufruem deste direito...eu próprio não usufrui do mesmo das duas vezes a que fui, já, candidato, e conheço uma boa duzia, pelo menos, de candidatos que optaram pelo mesmo
2. É verdadeiramente inadequado fazer deste tema noticia com informação tão sem geito...5 a 10 %? E porque não 1 a 2%? Ou 0,5 a 1%? Não havendo confirmação efectiva com base em que dados estaremos a trabalhar?Em pressupostos de quem quer escamotear que, e recordando o Codigo do Trabalho, ainda não se cumpre em Portugal o articulado sobre a Formação Profissional, apesar de estar publicada no interior do mesmo Código do Trabalho? Apesar de se saber que a não qualificação, a nivel de gestores e trabalhadores, é o principal cancro da economia em Portugal? E porque não uma noticiazita sobre tal?
3. "Férias"? A participação na vida pública do país, a participação em campanhas eleitorais, um acto cívico, um dever cívico enfim, pode ser comparado com"férias"? Em nome de quê? Do desvalorizar da participação activa dos cidadãos na mesma vida pública?
4. "Absentismo", o cumprimento de um dever cívico? Esta ideia faz-me recordar velhos debates à mesa de negociações de contratos colectivos de trabalho, dos idos anos 80sobre os direitos das mães ao aleitamento...e faz-me lembrar o como é baixa actualmente a taxa de natalidade em Portugal...será por acaso? Não estaremos, todos, a perder com esta enorme redução de Consumidores, (atingida com esta rejeição do papel das mães na economia produtiva..) e de participantes na Vida económica, resultante do nao cumprimento, em não poucos sectores de actividade, dos direitos das mães, sendo que o que se ganhou em "combate ao absentismo" se está a perder em Procura económica...?
5. "Absentismo"? E sabem os intervenientes na construção desta "noticia" as horas perdidas e não pagas em reuniões de Junta, de Assembleia de Freguesia, em sessões de Câmara e Assembleias Municipais, em reuniões com os municipes, em trabalho realizado em prol da comunidade, em trabalho realizado em favôr do crescimento da economia?
6. Seria bem interessante, nesta matéria do "absentismo", recordar e fazer noticia sobre as horas dispendidas em transportes públicos, ainda hoje de má qualidade, e verdadeiras fautoras de redução da produtividade na actividade económica....
7. Seria bem interessante, nesta matéria, recordar como ginastica, todos os dias, parte importante da população activa, para conseguir manter um nivel de qualificação, escolar, dos seus filhos, levando-os e trazendo-os das escolas, em condições miserabilistas e geradoras de tensões, stress e de redução de produtividade efectiva....
8. É para intervir na busca de soluções para estes ainda problemas, que existem os eleitos locais, que reunem com construtores civis, com empresários de empresas de serviços, com gestores de fabricas, com gestores de unidades hospitalares, com gestores de escolas, para auxiliar à busca de alternativas a esta crise que vivemos e que alimentou tanto e tão ingrato betão, e são clientes, e são dinamizadores, dessas mesmas actividades económicas. E diga-se, bem portuguêsmente, todas essas actividades, esses eleitos locais, fazem-no "de borla".
Sei-o de experiencia feita....

Joffre Justino
publicado por JoffreJustino às 13:58
link do post | comentar | favorito
|

.mais sobre mim

.pesquisar

 

.Julho 2012

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6
7

8
9
10
11
12
13
14

15
16
17
19
20
21

22
23
24
25
26
27
28

29
30
31


.posts recentes

. Primárias - Uma Otima Pro...

. O 11 de Setembro e eu pr...

. Um recado a Henrique Mont...

. Na Capital Mais Cara do M...

. Há Asneiras A Não Repetir...

. “36 Milhões de Pessoas Mo...

. Ah Esta Mentalidade de Ca...

. A Tolice dos Subserviente...

. A Típica Violência Que Ta...

. Entre Cerveira e a Crise ...

.arquivos

. Julho 2012

. Setembro 2011

. Agosto 2011

. Julho 2011

. Junho 2011

. Maio 2011

. Abril 2011

. Março 2011

. Fevereiro 2011

. Janeiro 2011

. Dezembro 2010

. Novembro 2010

. Outubro 2010

. Setembro 2010

. Julho 2010

. Junho 2010

. Maio 2010

. Abril 2010

. Março 2010

. Fevereiro 2010

. Janeiro 2010

. Dezembro 2009

. Novembro 2009

. Outubro 2009

. Setembro 2009

. Agosto 2009

. Julho 2009

. Junho 2009

. Maio 2009

. Abril 2009

. Março 2009

. Fevereiro 2009

. Janeiro 2009

. Dezembro 2008

. Novembro 2008

. Outubro 2008

. Setembro 2008

. Agosto 2008

. Julho 2008

. Junho 2008

. Maio 2008

. Abril 2008

. Março 2008

. Janeiro 2008

. Dezembro 2007

. Novembro 2007

. Outubro 2007

. Agosto 2007

. Junho 2007

. Maio 2007

. Abril 2007

. Março 2007

. Fevereiro 2007

. Janeiro 2007

. Dezembro 2006

. Novembro 2006

. Outubro 2006

. Setembro 2006

. Agosto 2006

. Julho 2006

. Junho 2006

. Maio 2006

. Março 2006

. Fevereiro 2006

. Janeiro 2006

. Dezembro 2005

. Novembro 2005

. Outubro 2005

. Setembro 2005

. Agosto 2005

. Julho 2005

. Junho 2005

. Maio 2005

blogs SAPO

.subscrever feeds