Terça-feira, 6 de Fevereiro de 2007

Os Deusinhos que Cansam….e Deus que Ama e não penaliza o Aborto, nem o sexo

“"Eu sou contra o aborto e até acho que está ali uma vida humana. Mas não devo impor esta minha opinião aos outros. Tem de haver liberdade para decidir." Muitas pessoas votarão "sim" no próximo referendo com esta posição. Acham que em tema tão decisivo para a vida da mulher deve dar-se liberdade.”



É assim que João César das Neves inicia um texto, mais um, que fez sobre o Aborto…



Não, não é essa a sua opinião, o que cito acima, o que ele tenta neste texto é desmontar as opções dos outros sobre o Aborto.



Tentemos então desmontar João César das Neves.



Começo por referir que o Livre Arbítrio é a base da relação de Deus com cada um de nós.



É o que nos ensina a Bíblia, a sua Palavra.



Deus não nos amarra a opções, Ele indica-nos Caminhos que tomamos, ou não, por Livre Escolha. Porque ele ama-nos assim livres.



Mas João César das Neves, melhor que Deus, (segundo ele claro…), vai dar-nos a sua via…



“É evidente que cada um tem liberdade de pensar o que quiser sobre o início da vida humana. Mas quando se fala da destruição dessa vida então essa, como todas as liberdades, tem de ser regulada e protegida. Cada um também tem liberdade de escolher a casa que quiser desde que respeite o plano urbanístico, de escrever o que lhe apetece mas sujeito à lei de imprensa, às regras da privacidade, ao código da publicidade. Quanto mais importante a liberdade, mais regras a defendem. Porque não se protege a liberdade de nascer?”



Interessante não é? Deusinho que é João César das Neves até parece dar-nos o livre arbítrio que Deus nos Dá… mas não, deusinho que é, diz-nos logo de seguida que não, que não no-lo dá…perante a destruição da vida que não definiu, que não explicitou, que nuca conseguirá clarificar.



Na verdade, sou do tempo em que os César das Neves diziam, (e escreviam!), que um espermatozóide era vida, razão pela qual a masturbação era pecado …explicando ao pormenor os horrores de tal pecado…porque na verdade os César das Neves continuam, no seu íntimo, a achar que sim, que no espermatozóide está a vida humana.



Hoje pode-se dizer que existe base para sustentar um projecto de vida humana, (nem sequer uma vida humana…), aí pelas 10 a 16 semanas, (vejam a diferença… as dificuldades da Ciência). Mas, note-se, os Joões César das Neves não explicam o quanto custa, em investimento, em aquisição do serviço, esta hipótese meramente académica, das 10/16 semanas.



Note-se, nem César das Neves teria, por si, capacidade financeira para impor uma Vida Humana fora da Mamã, logo logo às 10 semanas e um dia…mas que interessa isso a deusinho?



NO entanto a Bíblia é muito clara –ela explicita que existe Vida Humana quando e só quando se dá o Sopro da Vida, o primeiro acto de respirar do bebé, depois de nascer…



Mas que interessa a João César das Neves a Bíblia?



Que lhe interessa a palavra de Deus se ele é, já - deusinho?



“Mas o embrião que sofre o aborto tem toda a sua pessoa envolvida nele de forma ainda mais decisiva. Pode compreender-se que o Estado não se meta nas decisões íntimas dos cidadãos. Mas pode deixar à liberdade de cada um a decisão de eliminar a vida de outro? Para mais, inocente?”



É claro que já ouvimos o deusinho a perorar horas sem fim, cheio de vivacidade e humor contra o Estado. Ah! Mas desta vez não, que viva o Estado desde que o Estado seja eu…lembram-se?



Mas mais, é claro que é o deusinho que define que no aborto há a eliminação da vida de outro…e é claro que não interessa explicar nem o porquê, nem o quando existe essa vida. Até porque ele acha que ela existe no espermatozóide.



“Claro que essas leis e limites criam muitos incómodos, mas sempre em nome de um valor superior. Que bem-estar é mais importante que o do bebé em gestação? Que justiça é mais sublime que a dos inocentes? Que futuro, que progresso para Portugal sem embriões, sem filhos, sem vida? Será que o direito à irresponsabilidade paternal se sobrepõe ao direito à vida?”



O João César das Neves está assim muito preocupado com o bebé em gestação. Certo e justo. Mas quantas vezes foi ele visto e ouvido a propor, a sugerir, a falar sequer sobre o como podemos impedir que a taxa de natalidade em Portugal se altere passando Portugal a estar já não em fase de suicídio colectivo para, pelo menos, em fase de sustentação – 2 filhos por casal?



Eu nunca tive essa sorte.



É claro que os papás e as mamãs deste país são, para João César das Neves, à partida, irresponsáveis. Por isso não podem ter o Livre Arbítrio que Deus dá.



Ele, deusinho, está aqui para o tirar!



Em nome de…nada. Porque desde o inicio deste texto não explica o que é e quando começa a vida humana.



“Por que razão o feto com 11 semanas teria protecção e o de nove não? Que estudo, conceito, ideologia, argumento suporta tal decisão? A resposta, simplesmente, é que dá jeito que assim seja. Há conveniência nesse limite. E o direito à vida ficaria sujeito aos interesses. Não é novidade, pois este tem sido sempre o princípio original da opressão.”



É claro que o deusinho César das Neves teria de se assumir em uma qualquer fase do seu texto…que interessam os estudos, as ciências, as ideologias, desde que não o apoiem? Porque está discutido, debatido, desenvolvido, ate ao cansaço, o que é necessário para se assumir quando existe um projecto de Vida Humana. Mas que interessa isso a deusinho?



Nada. Porque cai fora do espermatozóide do deuzinho. E como se sente ele culpado por esse maldito espermatozóide que transporta. Porque Deus assim escolheu, mas que ele recusa.



Deusinho condói-se dele próprio pelo espermatozóide que transporta. Fustiga-se, castiga-se, mas não se perdoa. Porque é só um deusinho diga-se.



E qual é o seu principal problema? É que não leu nunca a Bíblia. Que, Palavra de Deus que é nunca proibiu o sexo e que so penaliza a devassidão, que nunca proibiu o Aborto e que considera a Vida Humana existente somente depois do Sopro de Vida, da 1ª respiração após o acto de nascer.



OU, se a leu, rejeitou-a.



Rejeitou a Palavra de Deus.



Deusinho que é, entende-se mais perfeito que Deus, e pretende eliminar os defeitos que Deus terá perpetrado na Natureza.



E um deles é este Livre Arbítrio que Deus nos deu.



Há que tirá-lo urgentemente, mesmo que seja necessário apelar ao passado que João César das Neves não tem, de defensor da Liberdade contra a Ditadura de Salazar.



Porque ele e os seus parceiros estiveram ao lado da ditadura serôdia de Salazar contra a Liberdade e não ao contrario.



AH! E como eram bons esses tempos sem livre arbítrio, não é deusinhos? Como eram bons esses tempos em que “tomavam conta” até dos espermatozóides dos papás irresponsáveis….





Mas, lamento, a Palavra de Deus é clara. Temos mesmo o Livre Arbítrio, podemos mesmo errar, e Jesus Cristo veio à Terra, sofreu, e ressuscitou, para nos libertar desse mesmo “pecado original” que tanto falam.



Era tão bom se lêssemos um pouco mais a Bíblia…diríamos tantas menos asneiras…seríamos tão menos deusinhos…amaríamos tão mais o Outro e a Vida…







Joffre Justino
publicado por JoffreJustino às 10:17
link do post | comentar | favorito
|
2 comentários:
De Eugnio Costa Almeida a 6 de Fevereiro de 2007 às 19:23
"Como podemos ver em Exodus 21.23, “Mas se houver morte, então dará vida por vida”, tratando-se de novo da morte da mulher, pois o feto não tem ainda, sequer, alma vivente."
Esta frase decalcada do texto "A Bíblia face ao Aborto e à Vida", que escreveste não há muito tempo, talvez possa clarificar alguns espíritos pouco abertos.
Como já escrevi no meu blogue, o SIM ou o NÃO devem partir da consciência de cada eleitor. Mas há uma coisa que todos devem perceber: qual é, realmente, o alcance da pergunta colocada. Porque não me surpreende que muita gente a desconeça e só vá colocar o seu voto na perspectiva do Sim ou do Não "ao aborto". E não é isso que a pergunta coloca embora deixe implícita a mesma.
A pergunta vem ao encontro daqueles que, ultimamente, se questionam se a mulher deve ser ou não presa.
Um abraço fraterno
Eugénio Almeida


De Joao Soares a 6 de Fevereiro de 2007 às 12:36
Estimado Joffre Justino
Está excelente a sua perspectiva...quanto ao seu blogue, terei muito que ler e aprender,com mais tempo.
Os meus parabens e por um Portugal Moderno
http://bioterra.blogspot.com/2007/01/o-ano-da-modernidade-em-portugal.html (http://bioterra.blogspot.com/2007/01/o-ano-da-modernidade-em-portugal.html)

Um abraço


Comentar post

.mais sobre mim

.pesquisar

 

.Julho 2012

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6
7

8
9
10
11
12
13
14

15
16
17
19
20
21

22
23
24
25
26
27
28

29
30
31


.posts recentes

. Primárias - Uma Otima Pro...

. O 11 de Setembro e eu pr...

. Um recado a Henrique Mont...

. Na Capital Mais Cara do M...

. Há Asneiras A Não Repetir...

. “36 Milhões de Pessoas Mo...

. Ah Esta Mentalidade de Ca...

. A Tolice dos Subserviente...

. A Típica Violência Que Ta...

. Entre Cerveira e a Crise ...

.arquivos

. Julho 2012

. Setembro 2011

. Agosto 2011

. Julho 2011

. Junho 2011

. Maio 2011

. Abril 2011

. Março 2011

. Fevereiro 2011

. Janeiro 2011

. Dezembro 2010

. Novembro 2010

. Outubro 2010

. Setembro 2010

. Julho 2010

. Junho 2010

. Maio 2010

. Abril 2010

. Março 2010

. Fevereiro 2010

. Janeiro 2010

. Dezembro 2009

. Novembro 2009

. Outubro 2009

. Setembro 2009

. Agosto 2009

. Julho 2009

. Junho 2009

. Maio 2009

. Abril 2009

. Março 2009

. Fevereiro 2009

. Janeiro 2009

. Dezembro 2008

. Novembro 2008

. Outubro 2008

. Setembro 2008

. Agosto 2008

. Julho 2008

. Junho 2008

. Maio 2008

. Abril 2008

. Março 2008

. Janeiro 2008

. Dezembro 2007

. Novembro 2007

. Outubro 2007

. Agosto 2007

. Junho 2007

. Maio 2007

. Abril 2007

. Março 2007

. Fevereiro 2007

. Janeiro 2007

. Dezembro 2006

. Novembro 2006

. Outubro 2006

. Setembro 2006

. Agosto 2006

. Julho 2006

. Junho 2006

. Maio 2006

. Março 2006

. Fevereiro 2006

. Janeiro 2006

. Dezembro 2005

. Novembro 2005

. Outubro 2005

. Setembro 2005

. Agosto 2005

. Julho 2005

. Junho 2005

. Maio 2005

blogs SAPO

.subscrever feeds