Terça-feira, 22 de Janeiro de 2008

A ASAE NA BERLINDA….

O Partido Popular, e bem, abriu uma relação directa com os eleitores, via Internet e terá recebido, segundo o PUBLICO, 323 relatos de irregularidades na intervenção do elementos da ASAE.



Na verdade, compete aos partidos políticos incentivar a participação dos Cidadãos na vida pública e esta iniciativa do PP é, assim e em si, exemplar.



Houvera mais actividade deste tipo e teríamos uma Democracia mais participada, mais dinâmica e mais fortalecida.



E, note-se, sou um cidadão de Esquerda.



Por o ser é que me espanta esta sanha contra a ASAE que não nasceu à Direita, (quem “anda” na INTERNET sabe-o), mas sim em meios assumidamente marginais aos meios políticos institucionais.



A ASAE tem exagerado?



Se fosse só a ASAE a exagerar em Portugal, estaríamos bastante bem.



Eu fui, entre 2001 e 2004 alvo de uma perseguição institucional que me forçou a vender as quotas das sociedades onde as tinha, por ser acusado e julgado, sem julgamento note-se, em mera decisão administrativa, de ser dirigente da UNITA onde, (a minha acusação é somente essa), desenvolvia “actividades políticas”.



Está escrito nos sites das Nações Unidas, da União Europeia e em Despachos do Governo Português.



Durante esse processo cheguei a descobrir que, tendo eu como único BI o português, (Angola nunca aceitou dar-me um BI de Angolano…), não existia, segundo a Segurança Social, em Portugal…



Kafkiano mas verdadeiro.



Estive recentemente em Paris.



Aí vi vinho a ser vendido a copo, ou a jarro, vi cães a entrarem nos restaurantes e a ficarem com o dono enquanto este almoçava, e vi queijos com bolor nas mesas, como nos casos concretos dado o queijo que era, o têm de ter.



Não vi também copos de plástico, nem azeite em recipientes de plástico.



Mas, na verdade, e ao contrário do vivido em Portugal, tudo era exemplarmente limpo e o vinho não era baptizado, nem com água, nem com qualquer outra mistela…







Também os cães estavam visivelmente treinados, e os donos não necessitaram, uma única vez, durante uma refeição inteira de mais de 2 horas, de dizer sequer o habitual senta-te!



Ainda, em um restaurante e por erro meu, (má interpretação do francês), escolhi um prato que simplesmente detesto e mal o disse ao empregado ele levou o mesmo e trouxe a ementa para escolher outro prato sem me levar mais por isso.



Em todos os empregados vi um sorriso, um gesto de delicadeza e uma compreensão significativa pelo meu mau francês.



Chama-se a isto FORMAÇÃO.



Cívica e Profissional.



O mesmo não posso dizer sobre o café onde aos sábados tomo o meu cafésito matinal, onde o resmungo é significativo, o copo de água eu que o apanhe num canto em um jarro e um copo, e onde tenho de ouvir os dislates do namoro do dia anterior inter empregados.



Ou na tabacaria onde, aos sábados, me é vedado mexer nos jornais diários mesmo que compre um deles, (alias, a colecção habitual deles…).



Ou em livrarias, onde o funcionário desconhece o mais simples dos autores…



Para não falar da total falta de higiene, visível, nas cozinhas dos restaurantes de Lisboa em geral.



Ou da enorme quantidade de cães e animais “domésticos” abandonados por esse país fora…



Ou a má vontade generalizada dos funcionários nos supermercados, das lojas em geral dos Centros Comerciais.



Ganham mal, vivem mal, sentem-se mal e com razão.



Os patrões, pelo seu lado, em geral, pagam verdadeiras indecências por um arrendamento de uma área ridícula, e sofrem horrores para obter uma autorização de abertura.



E como os Clientes compram cada vez menos, cada vez mais se vêm mais patrões a vender os restos para as feiras do relógio de Portugal.



Casa onde não há pão toda a gente ralha e ninguém tem razão, eis o nosso problema.



Falta de Formação.



Cívica e Profissional.



Ao que se adiciona o facto de termos os preços de Paris para os salários de Marrocos, (exagero agora um pouco, sorry).



Sabiam que é obrigatório que cada trabalhador tenha 36h anuais de Formação? Escolhida pelo próprio?



Sabiam que ninguém cumpre esse preceito legal?



A ASAE exagera?



É bem possível que exagere.



Mas quando António Nunes, responsável pela ASAE, usufrui do seu direito de Consumidor e fuma um charuto em um casino, sabendo ele que o fazia em direito próprio, os jornalistas, o público, nós enfim, e a Direcção Geral de Saúde caiem em cima dele.



E já não é exagero.



O homem não pode fumar.



Idêntica à ideia de uma qualquer associação que incentiva ao que parece à denúncia dos fumadores e à lei que o incentiva também.



Fumei anos a fio e em muitos deles 3 maços por dia.



Hoje não o faço, por opção e sou dos que entende que o anúncio existente nos maços de cigarro dizendo que o tabaco mata é somente um incentivo ao desejo, inato em nós, de suicídio.



Pois o ridículo é proibir o tabaco e manter as Tabaqueiras…



Como é ridículo atacar a ASAE e não atacar os baixos salários, a inexistência de Formação, Cívica e Profissional, ou os exagerados custos de arrendamento em Centros Comerciais.



Ou os preços à europeia com salários à marroquino.



Ou o manter-se um custo hora formando de 355 escudos em 2008, na formação financiada, quando ele foi de 900 escudos em 1986…



Atacar a ASAE?



Enfim, sei que ninguém vai gostar do que escrevi….







Joffre Justino
publicado por JoffreJustino às 09:47
link do post | comentar | favorito
|

.mais sobre mim

.pesquisar

 

.Julho 2012

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6
7

8
9
10
11
12
13
14

15
16
17
19
20
21

22
23
24
25
26
27
28

29
30
31


.posts recentes

. Primárias - Uma Otima Pro...

. O 11 de Setembro e eu pr...

. Um recado a Henrique Mont...

. Na Capital Mais Cara do M...

. Há Asneiras A Não Repetir...

. “36 Milhões de Pessoas Mo...

. Ah Esta Mentalidade de Ca...

. A Tolice dos Subserviente...

. A Típica Violência Que Ta...

. Entre Cerveira e a Crise ...

.arquivos

. Julho 2012

. Setembro 2011

. Agosto 2011

. Julho 2011

. Junho 2011

. Maio 2011

. Abril 2011

. Março 2011

. Fevereiro 2011

. Janeiro 2011

. Dezembro 2010

. Novembro 2010

. Outubro 2010

. Setembro 2010

. Julho 2010

. Junho 2010

. Maio 2010

. Abril 2010

. Março 2010

. Fevereiro 2010

. Janeiro 2010

. Dezembro 2009

. Novembro 2009

. Outubro 2009

. Setembro 2009

. Agosto 2009

. Julho 2009

. Junho 2009

. Maio 2009

. Abril 2009

. Março 2009

. Fevereiro 2009

. Janeiro 2009

. Dezembro 2008

. Novembro 2008

. Outubro 2008

. Setembro 2008

. Agosto 2008

. Julho 2008

. Junho 2008

. Maio 2008

. Abril 2008

. Março 2008

. Janeiro 2008

. Dezembro 2007

. Novembro 2007

. Outubro 2007

. Agosto 2007

. Junho 2007

. Maio 2007

. Abril 2007

. Março 2007

. Fevereiro 2007

. Janeiro 2007

. Dezembro 2006

. Novembro 2006

. Outubro 2006

. Setembro 2006

. Agosto 2006

. Julho 2006

. Junho 2006

. Maio 2006

. Março 2006

. Fevereiro 2006

. Janeiro 2006

. Dezembro 2005

. Novembro 2005

. Outubro 2005

. Setembro 2005

. Agosto 2005

. Julho 2005

. Junho 2005

. Maio 2005

blogs SAPO

.subscrever feeds