Quinta-feira, 29 de Janeiro de 2009

COMO SABEM, ASSUMO-ME COMO LUSO ANGOLANO E NÃO COMO PORTUGUÊS…

Por isso me espanto e me choco, com a “falta de chᔠde alguma comunicação social portuguesa, mas também de alguns jornalistas, de alguns políticos, de algumas personalidades, esses e essas também, claro, portuguesas.



Por isso também, costumo afirmar que Portugal “perdeu o norte” com a perca do Império, e é hoje um país pequeno e somente com 35 anitos, onde existe alguma população, uma franca minoria, com 8 séculos de história – aquela que à Direita, ao Centro e à Esquerda se reconhece no que de bom e de mau tem a História do Império Teocrático criado pelos Templários como Afonso de Henriques, Gualdim Pais, etc.



No século XIX, um militar português, (um prémio a quem descobrir sobre quem falo), que virou herói nacional, e que nem é da minha “cor politica”, quando viu o seu país ameaçado, organizou as suas tropas, lá para as bandas de Angola, e quando parou tinha tomado, contra os britânicos, todo o território até ao Centro da actual Zâmbia.



Por isso, em 5 de Outubro de 1910, os Republicanos atingiram o seu sonho – fazer de Portugal um País moderno implantando a Republica, tão odiada pela corte britânica de então. Por isso também, aquando do final da II Guerra os anglo-saxões deixaram que Portugal continuasse nas mãos de um ditador fascista…dava-lhes jeito para os seus ímpetos neocoloniais.



Recentemente, alguns dos tablóides ingleses, esses dos papparazis que alguns “empresários” portugueses pretendem imitar em Portugal, destruindo o JN, entraram no total insulto à polícia portuguesa, aquando da história do casal inglês que perdeu, lamentavelmente, a filha, quando, na verdade, estava nos copos com amigos e pouco preocupado com os seus filhotes bébés…



Agora, uns policiazecos, britânicos, entendem como natural que um vídeo, onde um cidadão britânico, (claro, por o ser, é idóneo) insulta o governo de um país da União Europeia, (sem mais provas que uma afirmação oral em vídeo clandestino), onde a Grã-bretanha também está, (para quê diga-se de passagem, para além de ter andado a apoiar o sr Bush…), é prova suficiente para acusar um ministro de Portugal.



Sinceramente não sou português, sou orgulhosamente luso angolano.



Porque se o fosse tinha já organizado uma manifestação junto à embaixada da Grã-bretanha, de protesto, seguindo as raízes dos meus antepassados, (com orgulho portugueses, do Império), republicanos, que saíram à rua contra o Mapa Cor de Rosa….



Um inglês qualquer, um tipo que, só pela pinta, mostra o que é, insulta um membro do governo do nosso país, num vídeo clandestino e o “o pessoal cala-se”? Pior, acha bem e aproveita-se? Porque somos da Oposição? Porque estamos em campanha eleitoral?



Bem, andei em guerra civil contra o MPLA-PT e nunca alinhei em situações deste calibre, nem gostei muito de ver o meu país Angola nas ruas da amargura, por estorietas destas.



Quanto mais em Democracia!



O racismo, o xenofobismo anglo-saxónico é bem conhecido. Andou por cá no século XIX destruindo o país, roubando-o com a desculpa do antinapoleanismo….



Seria útil que, em Portugal, o orgulho em ser português fosse outro, em resposta a estas aleivosias de baixo cariz.



Não discuto sequer “a verdade” destes papparazzis britânicos, destes policiazecos, que já mataram um cidadão de expressão portuguesa por ser moreno e confundível com um “árabe”, e nem pediram convenientemente desculpa aos cidadãos de expressão portuguesa.



Bons tempos em que haviam em Portugal quem não permitia que um britânico qualquer assumisse tamanha xenofobia à nossa frente.



Havia algum orgulho então.



Mas enfim, é mesmo convosco, portugueses.



Joffre Justino
publicado por JoffreJustino às 10:06
link do post | comentar | favorito
|

.mais sobre mim

.pesquisar

 

.Julho 2012

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6
7

8
9
10
11
12
13
14

15
16
17
19
20
21

22
23
24
25
26
27
28

29
30
31


.posts recentes

. Primárias - Uma Otima Pro...

. O 11 de Setembro e eu pr...

. Um recado a Henrique Mont...

. Na Capital Mais Cara do M...

. Há Asneiras A Não Repetir...

. “36 Milhões de Pessoas Mo...

. Ah Esta Mentalidade de Ca...

. A Tolice dos Subserviente...

. A Típica Violência Que Ta...

. Entre Cerveira e a Crise ...

.arquivos

. Julho 2012

. Setembro 2011

. Agosto 2011

. Julho 2011

. Junho 2011

. Maio 2011

. Abril 2011

. Março 2011

. Fevereiro 2011

. Janeiro 2011

. Dezembro 2010

. Novembro 2010

. Outubro 2010

. Setembro 2010

. Julho 2010

. Junho 2010

. Maio 2010

. Abril 2010

. Março 2010

. Fevereiro 2010

. Janeiro 2010

. Dezembro 2009

. Novembro 2009

. Outubro 2009

. Setembro 2009

. Agosto 2009

. Julho 2009

. Junho 2009

. Maio 2009

. Abril 2009

. Março 2009

. Fevereiro 2009

. Janeiro 2009

. Dezembro 2008

. Novembro 2008

. Outubro 2008

. Setembro 2008

. Agosto 2008

. Julho 2008

. Junho 2008

. Maio 2008

. Abril 2008

. Março 2008

. Janeiro 2008

. Dezembro 2007

. Novembro 2007

. Outubro 2007

. Agosto 2007

. Junho 2007

. Maio 2007

. Abril 2007

. Março 2007

. Fevereiro 2007

. Janeiro 2007

. Dezembro 2006

. Novembro 2006

. Outubro 2006

. Setembro 2006

. Agosto 2006

. Julho 2006

. Junho 2006

. Maio 2006

. Março 2006

. Fevereiro 2006

. Janeiro 2006

. Dezembro 2005

. Novembro 2005

. Outubro 2005

. Setembro 2005

. Agosto 2005

. Julho 2005

. Junho 2005

. Maio 2005

blogs SAPO

.subscrever feeds