Terça-feira, 7 de Junho de 2011

A Derrota da Esquerda “Raivosa”

Cumprimentei ontem a Esquerda Socialista que, mais uma vez, afrontou ódios lamechas e raivinhas de café, e foi capaz de segurar a Esquerda e em especial o PS, a 5 de Junho de 2011. Claro que fui criticado por uns tantos e hoje sê-lo-ei por ainda mais. Acentuo que, de momento, o importante é tentar perceber como é que a Esquerda perdeu, em dois anos, 25,8% do seu eleitorado, sendo que todos os 3 partidos, PS, PCP, BE, perderam eleitores, ainda que os principais perdedores tenham sido o PS e o BE! Todos nos recordamos que o PS foi, raivosamente, o bombo da festa para PCP e BE a todo o momento e em todas as circunstâncias, tanto para Direita, via comunicação social por ela dominada, como pela restante Esquerda, via movimentos sociais que esta controla. A estratégia pareceu dar, à Esquerda, resultado, em 2009, e o PCP e em especial o BE cresceram nesta “caça ao eleitor”, feita em moldes totalmente populistas e incongruentes e sempre sem que tenham feito algum esforço de aproximação à Esquerda, contando somente com o desgaste governativo e o cansaço da Esquerda Socialista face às ditas e constante e estupidamente referidas, “politicas de direita” do governo PS. O PCP, partido com 90 anos de experiencia, sabe bem que nesta via de desgaste do PS o tempo é essencial e a sua pressa é pouca. Tendo definido uma via, a da critica negativa e a da oposição sistemática “ à burguesia” , numa versão “antiDimitrov” proposta por um ex PCP e ex ML, Francisco Rodrigues Martins, afastou-se de facto da política de Frente Critica quase sempre defendida por Álvaro Cunhal que na década de 50 conhecera bem as nefastas consequências do esquerdismo. Ainda assim, o PCP sabe gerir a raiva, sabe fazê-la acelerar e sabe travá-la pois sabe bem, pelos anos de experiencia, que o antiDimitrovismo é uma política de conjuntura e não de estratégia. O que não sucede com o BE. O triunfalismo resultante de uma subida de 193 006 votos, entre 2005 e 2009, (+52,8% de votos!), sobreaqueceu um partido/frente com uma ala esquerdista/trotskista explicitamente anti-sistema e provocou uma sensação de vitória e de ascensão imediatista que conduziu o BE a uma aliança implícita com o PSD, já não no Poder Local, como o PCP tem vindo a fazer desde 2005, mas mesmo no Parlamento, facilitando à Direita o seu acesso ao Poder nestas eleições de 5 de Junho de 2011, com a moção de censura que alimentou todo o restante cenário até à derrota do PEC IV, já que tanto PCP como BE acharam que iriam continuar a receber de mão beijada os votos descontentes da Esquerda Socialista ! Erraram. O chumbo do PEC IV foi o ultrapassar do risco para estes eleitores que, sendo de Esquerda , sendo até socialmente radicais, não são politicamente ignorantes e, conhecendo o grau da Crise Mundial e o seu impacto em Portugal não embarcaram numa aventura sem retorno – a de entregar a governação em momento de crise financeira e económica à Direita! E foi este eleitorado que segurou o PS e impediu este Partido de ficar bem abaixo dos 25%, ao nível dos resultados do PS em 1985, mostrando, pela segunda vez que, para o eleitorado do Centro, o populismo colhe e que a gestão da Crise se paga! Foi assim com a primeira vitória de Cavaco Silva, está a ser assim com esta vitória de Pedro Passos Coelho! O PCP e o BE, em especial o BE pode ser que tenham aprendido com esta desgraçada aventura eleitoralista, com esta incapacidade, para o BE, e falta de coragem, para o PCP, em assumir que a Crise sendo Global obriga a medidas estruturais e de conjuntura difíceis, dolorosas e que a tese “dos ricos que paguem a crise “ é tão estúpida quanto ineficaz! Tivemos a oportunidade de uma governação à Esquerda, em crise, que poderia ter sido especialmente positiva para toda a Esquerda Global dos dias de hoje. Não tivemos essa oportunidade também porque o Centro Esquerda Socialista não ajudou e tal deve ser assumido. O nenhum diálogo à Esquerda, como se ainda estivéssemos em tempo de luta soviético/americana, a inexistência de um debate nas bases, até nos erros cometidos, pelo entre toda a Esquerda, gerado pelo Centro Esquerda Socialista, também permitiu que o eleitorado do Centro, populista, fugisse do PS, tamanha era a campanha contra o governo socialista e tão baça era a atitude socialista nas bases sociais! Cito entretanto um exemplo – perante os ataques da Agencias de Notação à economia portuguesa um grupo de militantes da Esquerda Socialista, do PS fora do PS, avançaram com uma Petição pela Regulamentação das Agencias de Notação. O Centro Esquerda Socialista arrogantemente, em geral, ignorou esta Petição e bem pouco fez para que a mesma fosse um sucesso social e político capaz de ser uma arma de arremesso na União Europeia e no FMI! E o PCP/BE, arrogantemente também, optaram, quando viram que a Petição, apesar de ser de um pequeno grupo de Cidadãos ia crescendo, por a matar criando um movimento paralelo que pouco deu senão para matar uma Iniciativa que tinha todas as condições para gerar um movimento social inovador, em Portugal e na Globalização! Mas, diga-se também que a tibieza dos organizadores da Petição,(entre os quais eu), ajudou a que o movimento não crescesse, já que nunca ensaiámos o Diálogo organizacional alargado! Cito ainda um outro exemplo! O caso dos nossos camaradas afro asiáticos que entusiasticamente aderiram ao arranque da campanha eleitoral e que por isso foram de imediato e em moldes racistas atacados pelo PSD, (note-se que o CDS não o fez), e que ninguém defendeu durante a campanha eleitoral de forma veemente. Santos Silva, Francisco Assis, e o humilde e desconhecido eu claro, assumimos e defendemos estes camaradas, mas no restante PS e na restante Esquerda, vivemos um envergonhado silencio, por onde ando o SOS Racismo por exemplo(?), e ainda por cima com algumas criticas por de baixo da mesa, o que afastou do PS, de imediato bem mais de 10% do eleitorado que se tem mantido, em geral, de fora das lides eleitorais, também porque não se ve representado na Assembleia da República, para além do CDS e de uma voz do PS, a deputada Celeste Correia e, claro, de António Costa. No fundo, há que o dizer, mesmo que doa dizê-lo, a Direita mereceu ganhar, perante tamanha divisão e sectarismo à Esquerda, e em face dos nossos, de todos, sectarismos, que se vê bem na abstenção havida! Eu estive, ninguém pode nega-lo, na linha da frente do combate de ideias pelo PS e pelo governo socialista, e por isso posso criticar os erros cometidos como devo aliás assumir que há que internamente ao PS defender que bem mais que mais liderança, que é sem duvida essencial, há que gerar mais debate interno, mais autocritica, mais movimento social, mais proximidade aos eleitores, mais defesa da economia social! Joffre Justino
publicado por JoffreJustino às 12:11
link do post | comentar | favorito
|
2 comentários:
De João Mateus a 7 de Junho de 2011 às 12:51
Sem dúvida uma boa reflexão e espero que mais contributos destes surjam para uma verdadeira reflexão do papel da esquerda em Portugal, isto porque a derrota não foi só da esquerda raivosa, mas de toda a esquerda, tirando aqueles que ganham sempre.
Cada vez tenho mais dúvidas que isso interesse a muita gente, mas tentar não custa.


De ribeira.eu a 8 de Junho de 2011 às 07:47
podesdes dejar vuestras opiniones y escritos en www.a25abril.org, es una web para conserbar la historia de portugal y donde podeis manifestar libremente vuestrospensamientso


Comentar post

.mais sobre mim

.pesquisar

 

.Julho 2012

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6
7

8
9
10
11
12
13
14

15
16
17
19
20
21

22
23
24
25
26
27
28

29
30
31


.posts recentes

. Primárias - Uma Otima Pro...

. O 11 de Setembro e eu pr...

. Um recado a Henrique Mont...

. Na Capital Mais Cara do M...

. Há Asneiras A Não Repetir...

. “36 Milhões de Pessoas Mo...

. Ah Esta Mentalidade de Ca...

. A Tolice dos Subserviente...

. A Típica Violência Que Ta...

. Entre Cerveira e a Crise ...

.arquivos

. Julho 2012

. Setembro 2011

. Agosto 2011

. Julho 2011

. Junho 2011

. Maio 2011

. Abril 2011

. Março 2011

. Fevereiro 2011

. Janeiro 2011

. Dezembro 2010

. Novembro 2010

. Outubro 2010

. Setembro 2010

. Julho 2010

. Junho 2010

. Maio 2010

. Abril 2010

. Março 2010

. Fevereiro 2010

. Janeiro 2010

. Dezembro 2009

. Novembro 2009

. Outubro 2009

. Setembro 2009

. Agosto 2009

. Julho 2009

. Junho 2009

. Maio 2009

. Abril 2009

. Março 2009

. Fevereiro 2009

. Janeiro 2009

. Dezembro 2008

. Novembro 2008

. Outubro 2008

. Setembro 2008

. Agosto 2008

. Julho 2008

. Junho 2008

. Maio 2008

. Abril 2008

. Março 2008

. Janeiro 2008

. Dezembro 2007

. Novembro 2007

. Outubro 2007

. Agosto 2007

. Junho 2007

. Maio 2007

. Abril 2007

. Março 2007

. Fevereiro 2007

. Janeiro 2007

. Dezembro 2006

. Novembro 2006

. Outubro 2006

. Setembro 2006

. Agosto 2006

. Julho 2006

. Junho 2006

. Maio 2006

. Março 2006

. Fevereiro 2006

. Janeiro 2006

. Dezembro 2005

. Novembro 2005

. Outubro 2005

. Setembro 2005

. Agosto 2005

. Julho 2005

. Junho 2005

. Maio 2005

blogs SAPO

.subscrever feeds