Segunda-feira, 30 de Maio de 2011

Acreditamos No Amor Não no Ódio! Somos Cristãos! Governar com Amor, Não com Ódio, É o Que Necessitamos!

Pai Perdoai lhes, eis como Jesus Cristo, Filho de Deus, ou Revolucionário, ou ambos, e que enformou a nossa Civilização, se pronunciou enquanto crucificado. E mesmo que com erros graves este é o principio da Civilização onde nos inserimos. O Amor, Não o ódio . Vivemos, ainda por cima, tempos de muita tensão, que só o Amor, a Solidariedade, ajudará a superar! Uma crise financeira grave, um endividamento externo brutal, cerca de 700 000 desempregados, milhares de famílias com graves problemas no cumprimento dos seus compromissos, e milhares de empresas com enormes dificuldades, exigem compreensão e Não ódio. Governar em Crise exige esta capacidade Cristã, que muitos, como os maçons não esquecem nunca - a de procurar perceber o outro, respeitar o outro! Ora fazer uma campanha eleitoral por querer destruir o adversário, ameaçar, dizendo que nem na Oposição o quer, é acicatar o ódio e o totalitraismo! E sabe-se sempre quando se começa a acicatar o ódio, mas Não se sabe nunca, nem quando começam nem quando acabam as consequências desse mesmo ódio! O dito “ódio de classe”, que dominava as duas facções liderantes na época, anos 20 do século XX, trouxe-nos, por exemplo, não o paraíso na Terra, mas sim o Fascismo e a II Guerra Mundial, com os seus milhões de mortos! Há, pois, que travar desde já este ódio, pois o que o país precisa é de um Governo de Amor, de Compreensão, de busca de Soluções e Não de problemas e de ódios, pessoais, de casta, “de classe”! Não se pode dizer, não basta como explicação, que Manuela Ferreira Leite “se entusiasmou”, pois já se viu, por demasiadas vezes, que esta é a sua forma de fazer política – centrar-se no ódio! Por isso mesmo, lamento mas é a minha opinião, Não pode governar, nem ela nem os que pensam e agem como ela! A Não ser que queiramos caminhar para a autodestruição! Tal qual se passa na Grécia, onde campeia a violência, tal qual se passa na Irlanda, onde campeia a frustração! Pode a comunicação social esconder agora as declarações de Manuela Ferreira Leite! Mas elas existiram, elas foram ditas, elas acicataram o ódio! Temos que precaver não que responder, e precaver é impedir que o ódio caminhe para a governação. É lamentável que haja quem pense que assim se governa e não creio, de todo, que no PSD esta orientação política dure por muito tempo. Mas o PSD já deveria ter aprendido – em 1979 acicatou o ódio e o resultado foi ter visto morrer, assassinado, lamentavelmente, por forças de extrema direita, todos o sabemos, o seu leader, Francisco Sá Carneiro. Porque o ódio traz a morte, não a Paz. E o silencio sobre declarações de ódio, a busca de esconder tais declarações nada de bom auguram, poi o que deveria acontecer era exigir clarificações e não nem justificações nem silêncios envergonhados, ou, melhor, descaradamente eleitoralistas. Felizmente, ao lado, vejo uma Juventude que faz o seu Caminho – os Acampados. Não é o meu Caminho, mas eu também não sou Jovem , mas, ao vê-los fico satisfeito, porque eles fazem por agir, defendendo o que Acreditam, mas sem ódio e com amor, divulgando o que desejam pacificamente, mostrando desde já quererem uma Democracia ainda mais aprofundada. Que hoje está às nossas mãos, com estas Novas Tecnologias, que os põem tão longe dos meus tempos com a sua idade – nesse tempo eu lutava, contra o fascismo, com policopiadores manuais, hoje, eles lutam, por Mais Democracia, com computadores, (entre eles o Magalhães), e a internet! – pois as teses Assemblistas mostram-se mais fazíveis, hoje, neste novo modelo de comunicação! É evidente que a organização da Democracia é algo que evolui e em moldes que usualmente desconhecemos mas que felizmente evolui e é do mais simples Bom senso estar atento aos modelos múltiplos que nos são propostos, em especial quando nos são propostos em lógica de luta por. Claro que a Comunicação Social hoje se preocupa com os Acampados somente enquanto noticia exótica, para de imediato a esquecer, tal como se preocupa em tudo fazer para anular a lógica totalitária do discurso de Manuela Ferreira Leite, tal como tudo fez para acicatar o ódio racista em Portugal. Fá-lo porque vive no antanho! Mas nós não! Por isso queremos precaver o Futuro e para o fazer há que impedir que esta via do ódio seja a via do país! Joffre Justino
publicado por JoffreJustino às 12:12
link do post | comentar | favorito
|

.mais sobre mim

.pesquisar

 

.Julho 2012

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6
7

8
9
10
11
12
13
14

15
16
17
19
20
21

22
23
24
25
26
27
28

29
30
31


.posts recentes

. Primárias - Uma Otima Pro...

. O 11 de Setembro e eu pr...

. Um recado a Henrique Mont...

. Na Capital Mais Cara do M...

. Há Asneiras A Não Repetir...

. “36 Milhões de Pessoas Mo...

. Ah Esta Mentalidade de Ca...

. A Tolice dos Subserviente...

. A Típica Violência Que Ta...

. Entre Cerveira e a Crise ...

.arquivos

. Julho 2012

. Setembro 2011

. Agosto 2011

. Julho 2011

. Junho 2011

. Maio 2011

. Abril 2011

. Março 2011

. Fevereiro 2011

. Janeiro 2011

. Dezembro 2010

. Novembro 2010

. Outubro 2010

. Setembro 2010

. Julho 2010

. Junho 2010

. Maio 2010

. Abril 2010

. Março 2010

. Fevereiro 2010

. Janeiro 2010

. Dezembro 2009

. Novembro 2009

. Outubro 2009

. Setembro 2009

. Agosto 2009

. Julho 2009

. Junho 2009

. Maio 2009

. Abril 2009

. Março 2009

. Fevereiro 2009

. Janeiro 2009

. Dezembro 2008

. Novembro 2008

. Outubro 2008

. Setembro 2008

. Agosto 2008

. Julho 2008

. Junho 2008

. Maio 2008

. Abril 2008

. Março 2008

. Janeiro 2008

. Dezembro 2007

. Novembro 2007

. Outubro 2007

. Agosto 2007

. Junho 2007

. Maio 2007

. Abril 2007

. Março 2007

. Fevereiro 2007

. Janeiro 2007

. Dezembro 2006

. Novembro 2006

. Outubro 2006

. Setembro 2006

. Agosto 2006

. Julho 2006

. Junho 2006

. Maio 2006

. Março 2006

. Fevereiro 2006

. Janeiro 2006

. Dezembro 2005

. Novembro 2005

. Outubro 2005

. Setembro 2005

. Agosto 2005

. Julho 2005

. Junho 2005

. Maio 2005

blogs SAPO

.subscrever feeds